sábado, 13 de agosto de 2016

Ser uma pessoa transgênera é ser um não-ser

(clique para ampliar)
Artigo publicado por Letícia Lanz na Revista Periódicus, v.1, nº5 (2016), Salvador, UFBA.

Ser uma pessoa transgênera é ser um não-ser, alguém que mesmo tendo existência material não é socialmente reconhecida e legitimada. É o “olhar do outro” – ou seja, o olhar da sociedade –quem atesta o êxito ou o fracasso da pessoa transgênera em passar como membro do gênero oposto. Gênero e orientação social só sobrevivem como critérios de classificação e hierarquização dos seres humanos graças à permanente ratificação – ou contestação – do olhar do outro, que é, em última análise, o olhar de aprovação ou de...

>> Abrir o arquivo 

Nenhum comentário:

Postar um comentário