segunda-feira, 8 de agosto de 2016

Sexista? Eu?

- Yes, baby! Você mesma. Justo você que se acha uma guerreira da linha de frente, no combate ao machismo.
- Mas como pode ser isso, se eu não apoio nenhuma iniciativa machista?
- Pode até não apoiar, mas vive reforçando o modelo binário de gênero - masculino/feminino - dando a maior força para a naturalização do gênero ao acreditar que ser mulher é ter uma vagina.
- E não é?
- Claro que não é! E acreditar que é, é sexismo puro, uma vez que você admite que só se pode assumir uma identidade de gênero de homem ou de mulher tendo o órgão sexual correspondente ao gênero designado para a pessoa ao nascer. Resumindo: sem pinto, não pode haver homem; sem xoxota, não existe mulher.
- Mas eu não vejo nenhum sexismo nisso! Cada pessoa tem o direito de querer ter ou não o órgão genital que bem entender!
- Quando a isso, não resta a menor dúvida: cada pessoa pode ser quem ela quiser, assim como ter o órgão genital que bem entender. Com dinheiro e cirurgia plástica, hoje é possível quase tudo. Mexer no próprio corpo e assumir a identidade de gênero que for mais confortável são direitos de qualquer pessoa. O que é sexista é acreditar que, se você tiver uma vagina será mais mulher do que alguém que não tem, mas que igualmente se sente mulher.
- ...
Pois é. Gênero não é uma determinação da natureza, mas uma percepção individual de cada pessoa. Sexista é justamente quem coloca o sexo genital como condição indispensável para que uma pessoa expresse a identidade de gênero masculina ou feminina. Entendeu, né? Espero que sim, porque eu sou péssima de desenho...rs.
(Letícia Lanz)

Nenhum comentário:

Postar um comentário