terça-feira, 25 de outubro de 2016

Para quem acha que dificuldade é sofrimento...

Não é romantismo, não: É realismo! Só quem já esteve numa UTI, e teve a sorte de sair de lá, sã e salva, sabe a festa que é redescobrir a vida, pulsando por todos os lados, no mundo à nossa volta. O sol brilhando no céu, a grama nascendo vigorosa depois da chuva, as flores se abrindo, as pessoas que a gente ama e que nos amam sorrindo para nós, numa mensagem clara de boas vindas.

Tem gente que já acorda de manhã decidida a sofrer, haja ou não motivo para o seu sofrimento. Sofrer é um vício na nossa cultura, em que ser vítima dá ibope e eleva a criatura ao patamar de heroína sofredora, digna de pena dos demais.

Acorde de manhã decidida a viver e terá o repúdio e o questionamento de todo mundo: o que foi que deu em você? Como é que você consegue ficar feliz nesse mundo de merda? É como se fosse proibido estar feliz, como se a alegria fosse um mal terrível em um mundo cinzento e mal-humorado.

Acorde de manhã encarando suas bruxas de modo deliciosamente lúdico, como se elas não passassem – e não passam mesmo – de gatinhas amestradas, e todo mundo vai achar que você enlouqueceu:
- Você perdeu a noção do perigo, querida?
- Você sabe o que essa criatura poderá fazer com você?
- Você enlouqueceu?

Todas as pessoas nesse mundo são exaustivamente treinadas para pastar e sofrer, não para se divertir e viver. Para a maioria, viver é sofrer e sofrimento é sinônimo de vida. De mamando a caducando...

- Você está dizendo isso porque está com as contas pagas e não está devendo nada...
- Você está dizendo isso porque não tem que levantar todos os dias às cinco horas da madrugada...
- Você está dizendo isso porque está desligada desse mundo...

É interminável a ladainha de justificativas, plenamente aceitáveis, para alguém viver infeliz e sofrendo. É quase nula a lista de coisas que deixam uma pessoa feliz no mundo de hoje. E para muitas, só tem um item: dinheiro. Que, segundo elas, não traz felicidade: manda buscar...

Quem dera que fosse simples assim! Dinheiro é muito bom mas, infelizmente, não traz felicidade nem “manda buscar” enquanto a pessoa estiver presa na estrutura da infelicidade compulsória, em que ninguém pode ser feliz e desfrutar da vida em um mundo tão feio, injusto, sacana, desalmado e violento.

Mas eu sinceramente não acredito que alguém, mergulhada no sofrimento e no rancor, consiga produzir alguma mudança nesse mundo podre que ela diz existir. Pelo contrário, tenho certeza absoluta de que a pessoa amarga e infeliz será apenas combustível extra para fazer a merda feder mais ainda.

Especialmente essas pessoas, que acham que dificuldade é sofrimento, e que vivem lamentando o fato de estarem vivas, deviam ter a chance de passar por uma UTI e sair de lá, um dia. Quem sabe redescobrissem algum colorido na vida que levam - e que acham um horror - a despeito da maioria delas querer desesperadamente se salvar e continuar a viver, a qualquer custo, quando se encontra na UTI...

Nenhum comentário:

Postar um comentário