segunda-feira, 7 de novembro de 2016

O que é que Deus tem a ver com sexo?

O que é que Deus tem a ver com sexo, para tantos religiosos falarem mais em práticas sexuais do que na devoção ao Criador?

Algum "teólogo" de plantão pode explicar o que é que pinto, bunda e xoxota têm a ver com religião? Pelo que eu sei, religião tem a ver com o coração e com o espírito, não com órgãos genitais e outras zonas erógenas do corpo humano todas, aliás, criadas por Deus, como todos os religiosos creem.  

A condenação religiosa às práticas sexuais vem da angústia e da ansiedade de muitos sacerdotes com relação à sua própria sexualidade mal-resolvida. Nesse caso, eles se valem da pregação religiosa para se livrarem ou, no mínimo, aliviarem seu sentimento de culpa em relação ao sexo, que os persegue de maneira perniciosa e maligna. 
 
Esse notável e desproporcional interesse de religiosos por coisas relacionadas ao sexo faz pensar que eles tenham uma fixação psicológica em práticas sexuais que consideram proibidas e pecaminosas, da qual tentam se livrar condenando ao inferno quem as pratica.

Se esses "religiosos" compreendessem a verdadeira natureza da religião, se dedicariam à oração, ao culto a Deus e ao amor ao próximo, em vez de ficarem fiscalizando e condenando a vida íntima das outras pessoas, numa espécie de “gozo às avessas”.

As práticas sexuais não impedem de maneira alguma a busca espiritual dos indivíduos. Pelo contrário, em muitas tradições religiosas, elas são tidas até mesmo como fortes estimulantes da busca espiritual, como é o caso do Tantra. De qualquer forma, não será através do sexo ou na completa disciplina ou abstenção dele que uma pessoa chegará ao Espírito. O caminho do Espírito só pode ser trilhado pelo Espírito.

É preciso ser muito obtuso e limitado, tanto mental quanto espiritualmente, para imaginar que uma pessoa estará mais próxima de Deus na medida que se abstiver inteiramente das práticas sexuais ou se limitar a praticar o sexo exclusivamente “para fins de procriação”, como hipocritamente pregam tantas seitas religiosas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário