quarta-feira, 21 de dezembro de 2016

Delete já! Não espere a cobra picar você para lhe cortar a cabeça.

(clique para ampliar)
Mesmo com a minha mixada aposentadoria  e com a falta crônica de trabalho - remunerado -, estou com minhas contas em dia e não incomodo absolutamente ninguém com demandas ou ofertas indecorosas, nem com "mimimi", dizendo que a sociedade está contra mim, não reconhece o meu valor, não me dá oportunidade e outras queixas do mesmo grau de vitimismo e chatura.

Da mesma forma, procuro sempre fundamentar minhas posições intelectuais, políticas e existenciais com o máximo de clareza, rigor e honestidade, a partir de estudos, pesquisas e reflexões sérias, assumindo inteiramente a responsabilidade por tudo que eu falo e escrevo.

Pois não é que, mesmo estando com todas as minhas "obrigações em dia", ainda aparecem pretensas "juízas" da santa inquisição, catando "pelos em ovos" na minha vida, com o objetivo nítido e explícito de me mandar para a fogueira?

Como disse Caetano no seu extraordinário poema "Reconvexo", "não tenho escolha, careta, vou descartar". Ou, atualizando o verbo "descartar" para esses tempos cibernéticos, vou "deletar", sem piedade. Volte para o purgatório, alma penada!

Tenho certeza que essas "tragédias ambulantes" não incomodam só a mim, com a sua "arrogância intimidadora", que não passa de um escudo que criaram para disfarçar a sua incompetência e incapacidade crônica de viver a própria vida, com dignidade e sobretudo com felicidade de viver, coisa que nunca conheceram em suas vidas medíocres.

Se você, também, está sendo vítima real ou potencial dessas "coisas ruins", não tenha pena nem dó (quem tem pena é galinha e quem tem dó é piano!). Como dizia um amigo meu, "quem perdoa seus inimigos, nas suas mãos morre" (vide Jesus Cristo).

Delete esse povo já! Não espere a cobra picar para só então você lhe cortar a cabeça. Pode ser tarde demais.

Um comentário: