sexta-feira, 30 de setembro de 2016

Saia da frente que a saia está vindo para ficar

A escola é inegavelmente o retrato das famílias. E as famílias vão muito mal, obrigado, nesse país que escolheu como futuro a volta ao pior passado da sua história.

Qual será o limite do atraso e da arrogância desses pais que decidiram abrir guerra contra a diretoria do tradicional Colégio Estadual Pedro II, no Rio de Janeiro, por ela ter liberado o uso de saia para os alunos matriculados como homens?(>> ler a notícia...)

No limite, esses pais fofoqueiros e enrustidos, que ainda vivem na penumbra de uma sexualidade mal-trabalhada, dentro da camisa de força de um gênero que lhes foi imposto ao nascer, vão eleger o nazista Bolsonaro e o impastor Feliciano para cagar regras morais na vida de um país que se tornou absolutamente tosco e imoral exatamente por causa da ação predatória de moralistas hipócritas como eles.

E os filhos dessas famílias que insistem em voltar para o passado mais execrável da nossa história, quem serão eles? Se não se revoltarem contra o nonsense dos pais insanos – o que eu sinceramente espero que aconteça o mais cedo possível – devem se transformar em clones do Bolsonaro, do malafaia, do Feliciano, do “mictório” Galli e de tantos outros imbecis que insistem em impor uma doutrina de merda para um país mergulhado na merda exatamente por causa da doutrina desses im-pastores.

Uma vergonha para os filhos terem pais atrasados como esses. Uma vergonha que esses pais se preocupem com a roupa que seus filhos estão usando, sem darem a mínima atenção possível para a vida que eles estão levando dentro da roupa.

A sorte é que, no fundo, esses pais imbecilizados desconfiam que a liberdade de gênero é algo inevitável. Sentem que não poderão conter a avalanche que virá da descompressão de gênero, essa sim, a revolução que há de mudar o curso da história da humanidade.

Sua resistência ao uso da saia pelos alunos homens é marca do seu desespero de sentir que sua educação fajuta, baseada no besteirol bíblico, está com os dias contados. E que seus próprios filhos, apesar da repressão doméstica, não resistirão ao cheiro de liberdade que está no ar.

Esses babacas ainda irão atrapalhar muito o curso do progresso que já está em movimento, mas de maneira nenhuma poderão impedir o que está cada vez mais próximo dos seus lares: a liberdade e a igualdade de gênero que, atônitos e desinformados, eles insistem em chamar de "ideologia de gênero".

Ideologia é a sua babaquice, o seu atraso moral e intelectual, que os impede de enxergar nesses implacáveis movimentos de conjuntura que as grandes mudanças estruturais da humanidade se tornaram inevitáveis. Mudanças que seus gritos esbaforidos e desesperados definitivamente não serão capazes de adiar. Salve a gloriosa diretoria do Colégio Estadual Pedro II! Pode ser até que esses mentecaptos consigam até retirar os seus cargos. Mas será apenas um ato de ódio, com repercussões puramente momentâneos. A saia está vindo para ficar.

Um comentário:

  1. Infelizmente ainda temos que conviver com pessoas retrógradas, preconceituosas e hipócritas, não ainda impedir a roupa de fora, pois a de dentro já se libertou...

    ResponderExcluir