terça-feira, 29 de novembro de 2016

Nem errada, nem vencida

- Letícia, diante do que eu lhe falei, que caminho você acha que eu devo tomar?
- O caminho que você escolher.
- Sim, mas como saber que o caminho que eu escolher é o melhor?
- Você nunca vai saber. Simplesmente não tem como você saber se escolheu o melhor caminho.
- Pois é. Essa é a minha dificuldade, pois eu não gostaria de errar.
- Não existe a menor possibilidade de você saber que não vai errar antes de trilhar o caminho que você escolheu. É preciso escolher um caminho, colocá-lo em prática por um tempo e só então é possível você aferir os resultados.
- Mas é uma decisão muito pesada, muito difícil, muito complicada e se eu fracassar não vejo como eu poderia voltar para trás.
- É claro que você pode voltar para trás! Por que não? Qual o problema em voltar para trás se der tudo errado? Quem falou que você não pode?
- Ah, mas seria vergonhoso, né? Dar o passo certo é beleza; Mas se eu der o passo errado, todo mundo vai cair em cima de mim.
- Meu anjo, dando certo ou dando errado, eles sempre cairão em cima de você. É impossível alguém conseguir agradar ou desagradar todo mundo ao mesmo tempo. Sempre haverá quem goste e quem não goste das suas escolhas e das coisas que você está fazendo, em função das suas escolhas. Mas o importante mesmo é você gostar, não os outros. Porque, se você gostar do caminho que escolheu, ele pode levar você para o brejo, junto com a vaca, e ainda assim você se sentirá em paz com você mesma: nem errada nem vencida, só mais vivida e crescida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário